quarta-feira, 22 de abril de 2009

REVOLUÇÃO EM MIM


Em pessoa, a revolução nos observa, pelo espelho, em reflexo, pré eletrograma da alma, assim foi e assim será o início, o meio e o nunca acabar. Bah tchê, ou Guevara a espreita no aprendizado do amor. Amor cubano, e do mundo, Fidel, fiel, cercado de Cienfuegos e paixão. Eu e você no cume da Sierra Maestra, exilados de medo e envoltos pelo caliente amor que vai além do Caribe, vai além das mais possíveis imaginações, fantasia que se realizou e permanece sã, insana, perene, fecunda e infinita, até que dure.

Nenhum comentário:

Confira

Cronicas de Abnegada Abgail
Fotografias do Mundo
Crônicas de dores passíveis
Crônicas de amores possíveis
Artigos da Revista Telas e Artes