sexta-feira, 28 de setembro de 2007

ACONTECÊNCIAS

Quando por mim eu me dei,
você já sabia meu riso,
você já sabia meu choro,
já até sabia meu cheiro.

Hoje, já sabes de minha vida,
do meu coração e alma,
você já me sabe inteiro.

Já conhece meus temperos,
minhas raivas e paixões.
Antecipa-se aos meu sonhos,
me acompanha em devaneios,
dividindo ilusões.

Já sabe o meu e-mail,
minhas senhas e atalhos,
isso tudinho de cor,
aumenta meus megabytes
sempre que necessário,
pra eu funcionar melhor.

Me acalma, me irrita,
me perturba, me orienta
nessa aventura louca;
por vezes me ama,
por vezes me odeia e,
por vezes, me beija a boca.

Sabe onde guardo o açúcar ,
o pó e as minhas dores
e, após me servir um café,
se veste pra me agradar,
com todas as minhas cores.

Me abraça por telefone,
já sabe de cor o meu nome,
o número do meu sapato,
a cor do meu cobertor.

E quando a voz me some,
e alguma dor me consome;
me diz só palavras belas,
palavras tais como aquelas,
que sempre falam de amor.

Quando sou só alegria,
com risos me compartilha,
o doce dom de viver,
Eu peco, não retribuo,
sou seco, sou inseguro,
mas não penso em lhe perder.

Varamos um ano de acertos,
encaixes e tentativas,
na busca de amar melhor;
Temos conseguido muito,
tenho eu crescido muito,
já sei suas dores de cor.

Não posso negar agora,
ela sabe e tem tudo de mim,
Tem o homem, tem a alma,
tem meu infinito, e... fim.

Um comentário:

Bela disse...

Quem tem um AMOR assim,tem tudo nessa vida...muito lindo,poeta....vc me fez rir,chorar,e até me identificar em alguns momentos...ADOREI!!!

Confira

Cronicas de Abnegada Abgail
Fotografias do Mundo
Crônicas de dores passíveis
Crônicas de amores possíveis
Artigos da Revista Telas e Artes